Pular para o conteúdo

Conteúdo

Blog

Últimas Notícias

Quais os custos devem ser controlados na gestão do transporte?

Não importa qual o ramo em que a empresa opera, não existe outra forma de mantê-la saudável que não seja com um bom controle de custos. Afinal, analisar onde o dinheiro é gasto é um dos pontos mais importantes para a estratégia empresarial. Em uma transportadora não é diferente. A gestão do transporte é sinônimo de um processo eficiente e com lucratividade, garantindo seu crescimento.

A verdade é que o transporte é considerado um processo caro dentro das empresas. Isso faz com que a maioria delas aposte na contratação de transportadoras rodoviárias.

Estas, devem estar preparadas para fazer a gestão de passagens ou cargas. Bem como a documentação necessária para qualquer deslocamento, seja ele municipal, estadual, interestadual, etc.

Para que a gestão do transporte não seja um problema para a transportadora, reunimos algumas dicas que ajudam no controle de custos. Continue a leitura e entenda como elaborar um bom controle de custos para a transportadora!

Custos fixos e variáveis

Para manter uma transportadora trabalhando de maneira produtiva e competitiva, é necessário um controle eficiente de gastos. Esse é o mesmo caminho que leva a transportadora a atingir o crescimento esperado.

O ponto de partida para que esse controle de custos seja feito com a eficiência necessária, é levantar todas as saídas financeiras que a empresa tem. Para que a gestão do transporte seja feita da melhor forma, é importante saber que existem dois tipos de custos empresariais para levar em conta: os fixos e os variáveis.

Os valores fixos são aqueles que não mudam em curto prazo. Entre esses gastos estão:

Se tiver dúvida se é um valor fixo, basta avaliar quais dos custos com a gestão de transporte não oscilam conforme o número de viagens ou distâncias percorridas.

Já os valores variáveis são aqueles que oscilam conforme o volume de trabalho da transportadora. O que significa que eles mudam à medida que os deslocamentos são realizados pelos motoristas. Assim sendo, os gastos variáveis são:

Os gastos variáveis nem sempre são realizados pela mesma pessoa ou departamento. Assim como os gastos fixos, que são determinados pelo setor financeiro e departamento de pessoal. Todavia, é importante lembrar que grande parte dos itens de custos, tanto os fixos, quanto as variáveis, podem ser alterados ou controlados por meio de um planejamento adequado.

Custo com a logística

Além dos custos já descritos acima, que são comuns para o dia a dia da empresa, lembre-se de que existem alguns valores com a gestão da logística que podem mudar de acordo com o tipo de carga. Esses custos são os que garantem a qualidade de serviço, como os cuidados especiais com

  • Manuseio da mercadoria
  • Carga e descarga – que pode impactar no tempo da entrega, e que quando bem feito, reduz o tempo estimado
  • Formato e tamanho das embalagens – que contribui para aumentar a capacidade de cargas transportadas
  • Nível de risco da carga, com produtos perigosos e frágeis

Deficiência no transporte brasileiro

Nos últimos 15 anos, as rodovias pavimentadas cresceram em 23,2%, enquanto a frota de veículos aumentou 184,2% no mesmo período. Os dados são do Anuário da Confederação Nacional do Transporte de carga no Brasil.

Porém, todo esse potencial de transporte não é utilizado de forma eficaz. Afinal, parte dos caminhões trafega sem a carga de retorno. Ou seja, desperdiça a capacidade da frota que circula de forma ociosa. Sem esse aproveitamento, existe amplo desperdício de recursos financeiros da transportadora.

Por isso, uma boa logística na gestão do transporte também é um fator que contribui para a redução de gastos da empresa.

Riscos com transporte

Em um país com alto índice de assaltos, parece clichê falar na preocupação com os riscos de transporte. As empresas que lidam principalmente com o deslocamento de cargas precisam investir em soluções para reduzir os riscos.

É o caso de recursos como monitoramento e rastreamento eletrônicos. Essas operações tecnológicas evitam rotas inseguras, bem como verificam e emitem alertas sobre qualquer desvio inesperado do veículo.

Software de gestão do transporte

Um programa que possa fazer toda a gestão do transporte de uma empresa é uma solução simples e eficaz para manter o fluxo financeiro saudável. A última dica diz respeito à utilização de tecnologia para o controle e gestão de gastos de transportes.

Para facilitar a rotina dentro da transportadora, a Praxio é especialista no desenvolvimento de softwares de gestão, que controla custos de forma centralizada. Isto é, ERPs verticalizados que:

  • Eliminam retrabalhos
  • Integram informações de diversos departamentos
  • Automatizam processos de emissão de documentos operacionais

Assim, os custos gerenciados pelos setores comercial, da frota, da manutenção dos veículos e da emissão de boletos são otimizados. Isso garante maior produtividade e lucratividade, pois elimina processos onerosos.

Ficou com alguma dúvida sobre como os sistemas de gestão podem realmente transformar a realidade de gestão de custos da sua transportadora? Confira as informações completas no site!